quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Rep. Dominicana - Parte I

Vista do quarto

Na piscina a beber piña colada

 
Numa pausa a seguir ao almoço

Na piscina de água salgada

Despedida do hotel

Puerto Plata, Abril de 2000

Como não podia deixar de ser, a viagem de finalistas da faculdade foi inesquecível por vários motivos: as aventuras no aeroporto, o país escolhido e a companhia, em que alguns colegas se tornaram verdadeiros amigos.

Nada como começar com a 1ª aventura...

Check-in em Lisboa, pergunta: "Querem as malas para Madrid ou para o destino final?" Resposta óbvia: destino final, menos uma preocupação (daqui a pouco vão perceber o motivo de mencionar isto).

No avião, apercebemo-nos de outro grupo de estudantes portugueses que ia para o mesmo destino. Descolagem nada suave e uma aterragem bruta, em que se sente a parte de trás do avião a bater literalmente na pista. O piloto andava a treinar ou então era mesmo brusco...

Era suposto esperarmos poucas horas em Madrid, mas claro que houve um "problema técnico" no avião e ficámos lá umas 5 ou 6 horas a secar. Como o almoço era a bordo, deram-nos vouchers para comer no aeroporto. Estamos nós descansados da vida a comer frango com batatas fritas (eu a guardar a parte da perna especialmente para o fim) e nisto vieram uns do tal grupo de portugueses dizer-nos que tiveram de fazer novamente o check-in das malas deles e viram algumas "espalhadas no chão".

Nós: Não pode ser, as nossas vão para o destino final.
Eles: Pois mas... estão lá malas, é melhor irem ver...

E lá fomos nós a correr pelo aeroporto fora. Finalmente encontrámos as tais malas, mas não eram nossas. Ninguém tinha almoçado até ao fim e eu andei a chorar a minha perna de frango o resto do tempo até embarcarmos...

9 horas de viagem. Voo tranquilo, sem grandes turbulências. Desembarque. Ao chegar ao autocarro que nos levaria até ao hotel, tenho a noção de como as malas dos passageiros são tratadas. Nada como atirá-las literalmente lá para dentro, porque isto de as arrumar delicadamente dá muito trabalho.

1 hora de viagem até ao hotel. Recepção, bebida vermelha refrescante (não faço ideia do que era, mas que sabia bem, sabia). Pulseira amarela no pulso e lá vamos nós para o quarto.

Uma das primeiras coisas que faço quando entro num quarto de hotel é ir ver como é o WC. Entrei e reparei num pormenor: a sanita tinha mais água do que estamos habituados. Para mim aquilo estava avariado, mas depois chegámos à conclusão que era normal...

Liguei aos meus pais. Era meia-noite, hora local, 5 da manhã em Portugal. "Desculpa estar a ligar a esta hora, mas houve atraso em Madrid e só chegámos agora, correu tudo bem".

A aventura seguinte, ainda nessa madrugada, segue em breve num novo post...

3 comentários:

Maguita disse...

Estas viagens não têm piada sem atribulações destas. Mas diz-me só se o voo foi da Iberia. Eles têm sempre falhas técnicas dessas. Farto-me de secar nos aeroportos por causa deles.

Carla disse...

Essa última fotografia está um espectáculo! Parece saída de um episódio do Verão Azul. Mostram que se divertiram.

Pedro Oliveira disse...

Para mim, nada melhor que fazer uma viagem de carro seja para onde fôr, parar onde quiser, e ter a alegria de chegar ao destino final inteiro. LOL